Criptomoedas são aceitas em lojas e em serviços; entenda como funciona na prática

0 42

As criptomoedas já são consideradas grandes ativos de investimentos. Agora também podem ser utilizadas como moeda de fato no varejo brasileiro graças à parceria entre a CoinPayments, processadora de pagamentos em criptomoedas, e a Shipay, fintech que integra pagamentos digitais ao caixa da empresa.

O objetivo do acordo é garantir que as lojas, tanto físicas quanto virtuais, possam receber pagamentos de seus consumidores por meio de moedas digitais. Atualmente, essa possibilidade está presente para mais de 500 mil pontos de venda físicos e 10 mil e-commerces que já utilizam a solução de integração.

O funcionamento é bem simples. A empresa precisa utilizar a ferramenta da Shipay e abrir uma conta digital (wallet) na CoinPayments para receber os valores. Depois disso, basta o cliente fazer o pagamento por meio da solução com a criptomoeda pelo seu celular e o valor correspondente é transferido diretamente à conta.

É uma forma mais segura, transparente e prática para o lojista. Trata-se de dinheiro à vista e sem risco de estorno por fraude (como ocorre com cartões). Ele também pode optar por continuar com o valor em criptomoeda ou fazer a conversão para uma stablecoin pareada ao dólar. Por fim, pode receber o pagamento em mais de 2 mil criptomoedas processadas pela CoinPayments.

“Esse é o primeiro passo para que o varejo também possa aproveitar a segurança e agilidade das criptomoedas, além de popularizar ainda mais esse ativo não só como fonte de investimento, mas também como algo útil para ser usado em nossas compras”, explica Rubens Neistein, Business Manager da CoinPayments.

CoinPayments e Shipay

A CoinPayments surgiu em 2013 e está presente em todo o mundo, mas resolveu expandir sua atuação no mercado brasileiro em 2021. Neste ano, a expectativa é obter crescimento de 30% até dezembro – em 2020, a plataforma movimentou US$ 75 milhões no país. O Brasil lidera o mercado latino-americano, com um salto de 405% no volume total de processamento de pagamentos apenas no primeiro trimestre do ano.

Já a Shipay surgiu em 2019 e é uma fintech que integra os pagamentos digitais, como wallets e PIX, diretamente ao sistema de caixa das lojas físicas (PDV e ERP), e-commerce, aplicativo e demais canais do varejo. O objetivo é simplificar o recebimento desses meios, garantindo maior rapidez na operação e otimizando a experiência de compra do consumidor.

Fonte: Diário do grande ABC

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais